11 de janeiro de 2013

Como Gaivotas...






























“Se você ama alguém, deixo-o livre; se ele voltar, é porque sempre foi seu; se não, nunca foi.”
(Richard Bach)

E foi assim que, certa vez, alguém, que eu amava muito, explicou-me por que andava tão sumido.

Ele não soube me contar, o que lhe fez se afastar. Dize-me apenas que precisava de um tempo, um tempo só pra ele, um tempo pra pensar...

E também, sem saber ao certo o que lhe fez voltar, apenas recitou este verso.

E esta pequena frase, que é por si só tão profunda e verdadeira, tornou desnecessárias todas as outras palavras...

Não que eu tivesse ficado quieta... Fiz milhões de perguntas... Tsc... Acontece que [às vezes] eu consigo ser bastante chata. Mas (ainda bem!) não o suficiente para estragar a leveza do momento. Momento lindo, indescritível... Perfeito!

Tão perfeito quanto esse lindo Amor, que, por ele, trago em meu peito.

(Por Lívia Antunes)

Um comentário:

Lucian Rodrigues Cardoso disse...

Lindas palavras, sobretudo, porque inspiradas num lindo amor!Se puder, me visite e seja uma membra, ajudando na divulgação do meu humilde e novo espaço. Abraços, Lucian (http://www.poemasintrovestidos.blogspot.com.br/)

Postar um comentário