27 de março de 2012

Ainda que o tempo passe...

 Diego olhou nos olhos de Ana e, citando Fernando Pessoa, falou:

– “Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?”.

Ela, menina, atrevida que era, sorrindo, apenas respondeu:

– Que bonito! Como devo entender esse verso lindo?

Diego, que, perto dela, sempre ficava desconcertado, ficou sem palavras (mais uma vez!).

Ana e Diego já se conheciam há alguns anos, e mesmo depois de tanto tempo sem se verem, ela continuava a provocar nele essa falta de jeito (ou seria de ar?). Mas era sem querer... Isso ela jurava.

Então para não deixá-lo ainda mais sem graça, ela disse a ele que não precisava responder e, quase partindo, agradeceu pelos belíssimos versos.

Acontece que Diego não queria ver o assunto morrer – nem sua estrela mais uma vez se esconder – encheu o peito de coragem e disse a sua querida e amada amiga:

– Talvez seja um "grito" de um cara que se perde nos seus próprios pensamentos... Enfrenta os medos e se desnorteia em seu vício, pois sabe que seu sonho é algo impossível...

E logo após falar emendou em uma conversa sem sentido.

Ana, meio atônita (mesmo já suspeitando da resposta) quis ouvir de Diego qual era o misterioso segredo.

Mas ele apenas respondeu que seria como voltar a um passado não muito remoto.

Ah... A cabeça de Ana encheu-se de boas lembranças...

Memórias de uma época que não cabem mais no presente.

Foi então que pela primeira vez a menina ficou sem palavras diante daquele rapaz tão doce...

E, decidida, deu-lhe, na face, um beijo, mostrou-lhe mais uma vez seu lindo sorriso... E, em seguida, partiu.

(Lívia Antunes)

2 comentários:

Gisela M. Bortoloso disse...

Lívia, achei o texto lindo, como tudo que você escreve. Já votei nele!!!
Você já pensou em escrever um livro?
um abraço
Gisela - Ler para Divertir

Lívia Antunes disse...

Ei Gisela... Obrigada! O meu primeiro livro de poesias fica pronto em maio. Inclusive lhe darei alguns para sortear no seu blog. Penso ainda em escrever um de crônicas mais pra frente...
Abraços,
Lívia.

Postar um comentário